15 de set de 2016

"Você sabe o que é shipar um casal?" -- A escritora 'Karine Aragão' do #livro 'A Teia dos Sonhos' conversa com os leitores via redes sociais...


Essas coisas lindas que nascem da relação entre escritores e leitores...

A escritora Karine Aragão conversa com os leitores no facebook... vai lá!


***

Mais uma do universo adolescente... Você sabe o que é shipar um casal?

"Derivado da palavra inglesa "relationship", o verbo shipar significa apoiar determinado casal de personagens, ou até mesmo real, e querer que fiquem juntos."

Assim... Como shipar Júlia e Bernardo?

Junardo?

Jube?

Berjúlia?

Sugestões... rsrsrsrs


#ateiadossonhos

#karinearagao

#juliaebernardo



Via facebook Karine Aragão autora do livro #ateiadossonhos



14 de set de 2016

Press Release do #livro 'A Lenda do gigante deitado e outras histórias' de Antonio Soares - ASO






Era uma vez...
Quem quiser que conte outra...
Um, dois, três...
Três contos, três momentos de busca, de realização de um ideal, de completude do ser, manifestos e filtrados por sentimentos de coragem, esperança, generosidade e colaboração.
(Prefácio – Márcia Pessanha)






           
          Ficha Técnica do livro:
          A Lenda Do Gigante Deitado e Outras Histórias
Autor e Ilustrador: Antônio Soares (ASO)
Editora Muiraquitã
Formato: 21x29.5cm
Páginas: 60
ISBN: ISBN 978-85-5858-004-5
Valor de Capa: R$ 32,00




O livro contém três histórias coloridas e ilustradas pelo autor. 

1.  A LENDA DO GIGANTE DEITADO - É uma narrativa de excursão educativa de alunos do antigo
ginasial ao Morro de São Lourenço, local onde se originou a cidade de Niterói. Traz informações curiosas e didáticas aos estudantes, enveredando por lições de cunho moral e otimista, em que são enaltecidas a boa índole do povo brasileiro, a confiança no futuro de nosso país e a fé inquebrantável nos destinos da Humanidade.

2. O BOM VELHINHO VEIO MESMO -  É um conto que se refere a figura lendária de Papai Noel, mas sob um enfoque totalmente diverso do habitual e enfatiza o valor do trabalho, da honestidade, da fé e da gratidão.

3. QUEM PINTOU A ZEBRA? Trata-se de uma historinha divertida que remete o leitor ao 'tempo em que os bichos falavam', com cenas e diálogos para a admiração do público infanto/juvenil e também para encantar aos leitores da melhor idade. 



SOBRE O AUTOR

Antonio Soares (pseudônimo: ASO) é advogado, jornalista, escritor, ilustrador, ator, dublador, cantor e compositor. Membro da Academia Niteroiense de Letras. Ele foi o último desenhista do cartun 'O Amigo da Onça', na extinta revista 'O Cruzeiro'. O pseudônimo ASO foi adotado para identificar os seus desenhos.


Obras Publicadas

1. 'Às Margens Plácidas do Rio Calimbá' - primeiro livro. Prefaciado pelo escritor Marcos Almir Madeira, da Academia Brasileira de Letras. Considerado leitura didática. Publicado com apoio da Secretaria de Cultura de Niterói. Editora Niterói Livros.

2. 'Cantos & Desencantos' - segundo livro. Prefaciado pelo poeta Alberto Valle, do Cenáculo Fluminense de História e Letras. Contém uma coleção de poemas. Edição do Autor. 

3. 'Ouçam-me, por favor! Estou aqui!, e outros contos ilustrados' - terceiro livro. Prefaciado pelo advogado-escritor-poeta Sandro Rebel. Contém 25 histórias de diversos gêneros, com gravuras. Editora NITPRESS.

4. A Lenda Do Gigante Deitado e Outras Histórias. Infanto-Juvenil. Editora Muiraquitã.




Para saber mais acesse a página do livro no facebook:




Para comprar o livro e receber em casa acesse a nossa Livraria Virtual:





10 de set de 2016

Direto do túnel do tempo... O escritor Augusto Lopes e o evento do livro 'Vil de Souto Cantinho da Beira Alta' em Portugal

O mês do aniversário das Edições Muiraquitã é um tempo de memórias e portanto vale relembrar alguns fatos marcantes, como esse da foto, em que a editora Labouré Lima encontrava-se em Viseu-Portugal para o lançamento do livro ‘Vil de Souto – Cantinho da Beira Alta’ do escritor português Augusto Lopes*. O livro traz uma pesquisa histórica sobre a formação da freguesia Casal de Vil de Souto, cujo significado quer dizer vale dos castanheiros. E dentre as famílias formadoras dessa povoação encontra-se a que deu origem a árvore genealógica do Comendador Thomás Lima. Ele foi um dos fundadores e presidente do antigo Banco Predial do Estado do Rio de Janeiro, vendido para o Unibanco e recentemente incorporado ao Grupo Itaú S/A. O comendador imigrou de Portugal para o Brasil. E com apenas 13 anos ele deixou Viseu para morar em Niterói-RJ, com seu irmão que já morava nesta cidade. Assim ele formou um novo núcleo familiar e construiu ao longo do tempo a sua história na comunidade luso-brasileira do Estado do Rio de Janeiro.

Nesta ocasião festiva torna-se imprescindível registrar a nossa homenagem à memória do Dr. Tomaz Correia de Miranda Lima (filho do Comendador), ex-presidente do Elos Clube de Niterói e Centro da Comunidade Luso-Brasileira do Estado do Rio de Janeiro que introduziu essa editora no seio da Comunidade Lusíada.

Retomando o assunto do lançamento do livro, ele estava agendado para Setembro de 2001. No dia do embarque para Portugal, estávamos despachando também na bagagem 1000 exemplares do livro para atender ao evento. Mas aquele onze de setembro não seria um dia qualquer. O mundo inteiro se cobriu de surpresa com um fato histórico que nãzo se apagará da nossa memória. E justamente naquele dia 11 de setembro de 2001, as Torres Gêmeas do World Trade Center (WTC) foram barbaramente atingidas por dois aviões, com ttransmissão em tempo real para o mundo inteiro. Essa tragédia abalou o Mundo e mudou a paisagem de NYC de uma hora para outra.  A partir dessa época a história política mundial se dividiu em dois tempos, antes e depois do maior ataque terrorista aos Estados Unidos.
Após o impacto das primeiras imagens consideramos que seria complicado passar dez horas dentro de um avião e atravessar o Oceano. Então, decidimos cancelar a partida.
Alguns dias depois, voamos para Portugal. Do outro lado do Oceano, fomos recebidos com um evento super bem cuidado, organizado pelo autor, sua família e um grupo de amigos. O escritor Augusto Lopes autografou mais de 400 livros em sua tarde de estreia. O que presenciamos não foi propriamente uma ‘sessão de autógrafos’, mas um ‘show de autógrafos’  entremeado com música, dança folclórica, gastronomia e exposição de artes plásticas, assinada por artistas regionais da Beira Alta. O eventou também contou com a cobertura jornalística da Radio Renascença e do Jornal Notícias de Viseu, aos quais a editora e o autor deram entrevista para divulgar o livro ‘VIL DE SOUTO – Cantinho da Beira Alta’.  Como se pode observar o lançamento desse livro marcou a história da editora de muitas formas.


*Augusto Lopes, mudou-se de Portugal para Genebra, onde, trabalha, estuda,  assina uma coluna de jornal, apresenta um programa de rádio e continua a escrever e a publicar seus livros. Seu mais recente lançamento chama-se ‘Meu Sol de Genebra’, publicado pela editora Chiado. Além da língua portuguesa, também pode ser lido nas versões em italiano e francês.

2 de ago de 2016

A família Muiraquitã oferece os melhores votos de boas vindas a Família Olímpica #Rio2016 #ChamaOlímpica sua linda🔥 Boas vindas à #Niterói💜 A Cidade Sorriso te abraça🙌

Chegou a vez de #Niterói receber o calor do espírito olímpico! Vem aí a tão esperada #ChamaOlímpica🔥 Que seja bem acolhida pela terra de Araribóia; que a sua Luz crie um rastro e faça brilhar à luz da esperança para nossa cidade, para o Brasil e o Mundo inteiro🙏🔥💜🔥🙏


25 de jul de 2016

Nossa homenagem ao 'Dia Nacional do Escritor' criado em 1960.


Em nome da Editora Muiraquitã quero parabenizar e agradecer publicamente aos nossos escritores, bem como das editoras do Brasil e do Mundo, pela entrega de suas vidas ao ofício criativo das palavras. Esse ofício tão importante que nos ensina a pensar...
Para a história de uma editora não é suficiente publicar livros vendáveis. Uma das características fundamentais é criar um diferencial. Ao se tornar conhecida por ser diferente das outras, uma editora conquista o interesse e a aproximação dos leitores. E com o foco em nossa Editora Muiraquitã queremos salientar que se torna indispensável evidenciar e agradecer aos nossos autores, pois são eles os maiores responsáveis por fazermos a diferença entre outras editoras. As nossas relações vão além da simples parceria editora/escritores. Nesse ano de 2016, mais precisamente em 24 de Setembro, completamos 25 anos de história. Foi esse tempo que nos ajudou a construir as gratíssimas relações de amizade com os escritores que publicamos. Para nossa editora isso representa mais que um prêmio conquistado. Queremos enfatizar que a nossa relação de afeto com os nossos autores começa a ser construída quando eles nos dão a oportunidade de ter contato com o texto que escreveram e sobre o qual se debruçaram por horas, dias, meses e anos de suas vidas, antes que se torne um livro acessível ao público.  Cada um desses amigos representa uma joia no tesouro da vida editorial, protegido com afeto e alto grau de confiabilidade.  
Labouré Lima

Nota da Editora: Se você tem um livro para publicar recomendamos que leia esse artigo no site da Editora Muiraquitã



No dia 25 de julho comemora-se o Dia Nacional do Escritor, data instituída em 1960 pelo então presidente da União Brasileira de Escritores, João Peregrino Júnior, e pelo seu vice-presidente, o célebre escritor Jorge Amado. O Dia do Escritor surgiu após a realização do I Festival do Escritor Brasileiro, iniciativa da UBE. O grande sucesso do evento foi primordial para que, por intermédio de um decreto governamental, a data fosse instituída com a finalidade de celebrar a importância do profissional das letras, profissão que, infelizmente, nem sempre tem sua relevância reconhecida.

Fonte: http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-nacional-escritor.htm

19 de jul de 2016

25 anos contando histórias e realizando sonhos...



Para a história de uma editora não é suficiente publicar livros vendáveis. Uma das características fundamentais é ter o seu diferencial. Se tornar conhecida por ser diferente das outras é um ponto que aproxima uma editora dos seus leitores.

 (Labouré Lima)





13 de jul de 2016

Nossa homenagem à memória do roqueiro Sergio Sampaio no dia #DiaMundialDoRock #VivaSampaio


Em uma releitura da expressão

 'Eu quero é botar meu bloco na rua'

 veja como os fãs interpretaram

 Sergio Sampaio


Vem aí a terceira edição
revisada e ampliada
pelo biógrafo Rodrigo Moreira