29 de jun de 2016

Acompanhe a programação da ‪#‎EditoraMuiraquitã‬ no CIRCUITO DAS ARTES NITERÓI #VempraPraça #ArteTransforma #VivaCultura




Vários parceiros estarão de mãos dadas para dar vida ao espaço público e promover todo tipo de arte na Praça Dom Navarro que fica na Av. Ary Parreiras em Icaraí, Niterói, RJ.

O evento acontecerá nos dias 9 e 10 de julho das 9 às 21h

Acompanhe a programação da ‪#‎EditoraMuiraquitã‬ no CIRCUITO DAS ARTES NITERÓI

SÁBADO, DIA 9 DE JULHO

Às 11h30 JOÃOZINHO E A TURMA DO SORRISO com participação da escritora infantil Dal Conceição em atividades de jogos e brincadeiras.
Às 14 horas CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS com participação da escritora e professora de História Conceição Vicente autora do livro UMA AVENTURA NAS LEMBRANÇAS DA CIDADE SORRISO.
Às 15 horas a CARAVANA LITERÁRIA MUIRAQUITÃ vai apresentar um sarau de poesias com a participação de autores da antologia 'O Perfume da Palavra'.



DOMINGO, DIA 10 DE JULHO

Às 11h45 Oficina de Shantalla Massagem para Bebês com participação da escritora Verônica França.

Às 14 horas Contação de Histórias com a escritora Neide Graça apresentando Cirandas e Brincadeiras.

A jovem escritora Karine Aragão falou ao site da REDE LA SALE ABEL sobre a sua vocação literária e como foi participar da antologia 'O Perfume da Palavra'


Uma das escritoras que integrou o time de autores da antologia “O perfume da palavra – vol. V”, lançada no fim do mês de maio pela Editora Muiraquitã, a professora do Fundamental II Karine Aragão (Língua Portuguesa e Redação) falou ao setor de Comunicação sobre sua participação na coletânea. Confira a entrevista:

1. Como surgiu o convite para ter uma crônica sua nessa antologia, publicada pela editora mais antiga de Niterói, a Muiraquitã?
Foi aberto um edital no site, a partir do qual os interessados deveriam enviar seus textos para serem analisados e aprovados.

2. A crônica “Compulsão de enganos” foi escrita especialmente para esse livro?
Na verdade, não. A escrita de crônicas e contos é uma atividade recorrente para mim. Escrevo e guardo todos até o momento em que uma oportunidade de publicação apareça. Tenho, também, outros textos publicados em revistas online.

3. E como foi participar dessa coletânea que homenageou o poeta niteroiense Horácio Pacheco? Você já conhecia as obras dele?
Foi bastante gratificante participar de uma antologia que se referencia a uma personalidade tão importante para Academia Fluminense de Letras. Conhecia pouco a obra de Horácio Pacheco. Quando busquei mais conhecimento, fiquei impressionada com a excelente articulação de seus discursos. 

4. Em seu livro “A Teia dos Sonhos”, você teve a oportunidade de escrever uma ficção adolescente. Como foi produzir uma crônica para “O perfume da palavra - volume V”? Com qual gênero você mais se identificou?
A escrita de um romance é bem diferente da de uma crônica. Por ser uma narrativa mais curta, a
crônica exige que o escritor seja mais pontual, avaliando com precisão a necessidade de cada palavra. “Compulsão de enganos” é uma crônica de humor, mistério e ironia. Gosto bastante desse estilo, como escritora e como leitora.
Quanto à identificação com o gênero, tenho certo carinho maior pelo romance, pois ele me dá a impressão de acompanhar os personagens por um longo tempo de suas vidas.

5. Quais são seus próximos planos literários? 
Ainda no mês de junho, participarei do lançamento de uma coletânea de contos pela editora “Oito e Meio”. O meu conto intitula-se “Sapatos das horas”. Apresentar novos escritores ao mercado é proposta dessa editora em crescimento.
Concomitantemente, estou nos primeiros passos da escrita de um novo romance, que será a continuação de “A Teia dos Sonhos”. Nessa história que vem se desenhando, conheceremos a narrativa pela voz de outra personagem, a adolescente Laura.

27 de jun de 2016

O #livro “CTI – Antessala da morte: um passeio pela vida” é jornalismo com muita verdade e emoção!

Um livro que instiga o leitor a ler sem parar. São histórias de uma vida pulsante e cheia de enredo. É jornalismo, com muita verdade e emoção.

Ilustrado com fotos a cores e em PB 
Formato: 14cm x 21cm 
186 páginas, divididas em 95 capítulos
ISBN: 978-85-7543-148-1 
Preço de capa: R$35,00

 O livro “CTI – Antessala da morte: um passeio pela vida” (Ed. Muiraquitã. 2014) é uma narrativa do jornalista Mário Dias ao estilo de revista como série de reportagens, abordando a infância, adolescência, décadas de jornalismo e o convívio com personagens variados. Políticos, dentre os quais Tenório Cavalcanti, o “Homem da Capa Preta”, Chagas Freitas, Leonel Brizola, Geremias Fontes, Luiz Inácio Lula da Silva, Jorge Roberto Silveira, Aécio Neves e Alberto Torres são apenas alguns dos citados. No meio artístico, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, João Nogueira, entre outros, são lembrados na passagem do “Botequim do Samba”, tanto na Rede Manchete de Televisão, quanto na Rede Globo, produzido por Mario Dias. As reportagens investigativas, os grandes eventos, como o réveillon na praia, o “Rio Elétrico”, a Micareta do Rio; o Bloco das Piranhas, o Carnaval, as Escolas de Samba, a Festa dos Bois de Parintins; São João e as rodas de samba também estão neste livro-reportagem. Nele, ainda o autor revive os desfiles de Miss e moda, apresentação do cerimonial de Fidel Castro, grandes comícios e shows. Os anos de censura da Ditadura, prisões, as reivindicações sindicais e estudantis, os fatos pitorescos e a fé em São Jorge também estão neste trabalho, com o autor “saindo” do CTI – Centro de Tratamento Intensivo – onde esteve internado há 30 anos, para fazer esta viagem no tempo.
Com cinco décadas de profissão, Mario Dias é jornalista, produtor, escritor e este é o seu quinto livro. Já assinou as seguintes obras: “Malditos Repórteres de Polícia” (Ed. Muiraquitã, 1992), com os principais casos policiais; “Rio da Violência Armado com Humor” (1995), produzido com vários cartunistas; “Das Rosas para as Rosas” (1994), livro de poesias; e participou da premiada coletânea “50 anos de crimes” (Ed. Record, 2007), com organização de Fernando Molica. Como profissional de imprensa, trabalhou nos jornais “Luta Democrática”, “O Dia”, “O Fluminense”, “O Jornal”, “A Tribuna” e “Diário Fluminense”, entre outros. Na televisão, ele já passou pelas seguintes emissoras: TV Tupi, TV Continental, TV Rio, Rede Manchete, e TV Globo. Apresentou por mais de dez anos o programa de entrevistas e variedades “Casa da Gente”, exibido em 3 emissoras, sendo um dos integrantes do movimento do Pagode, nas rádios Fluminense, Carioca e Rio de Janeiro.

8 de jun de 2016

PARABÉNS A ACADEMIA NITEROIENSE DE LETRAS PELOS 73 ANOS!


Ilustração Bico de Pena do artista Miguel Coelho.

Em nome das Edições Muiraquitã e de todos os nossos autores queremos desejar os nossos carinhosos P A R A B É N S para a ACADEMIA NITEROIENSE de LETRAS que está completando 73 anos. Cumprimentamos a presidente Marcia Pessanha e todos os Acadêmicos da querida instituição fluminense.  

Um pequena curiosidade sobre a data de fundação - se computarmos a primeira data de fundação a idade seria 85 anos, mas a segunda data é que foi o registro oficial. Enfim, para saber um pouco mais sobre essa instituição literária visite http://www.academianiteroiense.org.br/historico.htm

7 de jun de 2016

O Perfume da Palavra Volume V na Academia Niteroiense de Letras

A edição, em homenagem ao escritor e poeta Horácio Pacheco, apresenta uma montagem especial de trabalhos literários, com participação de autores nacionais e internacionais ligados de alguma forma à sua obra. São escritos que falam de experiências pessoais, e de certa maneira inspirados em ocasiões sensíveis, iluminando temas do passado que influenciam particularmente a vida de cada um dos participantes da antologia. Segundo a editora de arte da Muiraquitã, Raquel Almeida Lima Ribeiro, a proposta do livro foi articulada a partir da poesia "Leve" do Dr. Horácio Pacheco. Para ainda mais relembrar a figura emérita daquele professor que deu nome à nossa Casa Literária, a sensível professora da "Arte de dizer", Neide Barros Rêgo, declamou o referido poema ao término da solenidade. O Perfume da Palavra Volume V Confira todas as fotos do evento na Academia Niteroiense de Letras publicadas no Portal Focus. Em nome das Edições Muiraquitã expressamos os nossos agradecimentos ao poeta e jornalista Alberto Araújo e a sua esposa Sheyla que gentilmente fizeram a cobertura do evento e disponibilizaram no Portal Focus.

13 de mai de 2016

#livro Como o príncipe Shalla M'Bembe foi capturado em sua tribo na África Oriental e trazido ao Brasil colônia na condição de escravo?

SHALLA M´BEMBE
NOBRE NA SAVANA E NA SENZALA

A obra de ficção, baseada em fatos históricos, fala de dor, do terror do cativeiro, da violência humana, das questões sociais do século XIX, de luta, esperança e sonhos.


Em seu romance de estreia, Geraldo Aymoré Junior toca em uma enorme ferida: a questão da escravatura, da crueldade humana e das diferenças sociais na época do Brasil Colônia.O livro conta a história do príncipe Shalla M´Bembe que foi capturado de sua tribo, na África Oriental, e trazido ao Brasil colônia na condição de escravo. Filho de um líder respeitado e justo, Shalla M´Bembe, mesmo se tornando cativo, sofrendo violências e sendo tratado como um bicho sem alma, nunca deixou de ser bom e correto, granjeando o carinho de todos à sua volta, galgando assim, os passos para a tão sonhada liberdade. 

O autor começou a escrever esta obra em 2001 a partir de imagens das obras de Jean Baptiste Debret e Joahann Moritz Rugendas, onde se inspirou e iniciou vasta pesquisa em livros sobre a história do Brasil para adaptar a ficção à realidade da época.Como base histórica, a obra é rica em detalhes, datas e fatos. Como ficção, a obra é envolvente, cativante e emocionante.

Ficha Técnica:
Autor: Geraldo Aymoré Junior
ISBN: 978-85-7543-115-3
Gênero: Romance. História. Escravidão
Formato: 16x23cm
Páginas: 284
Preço de Capa: R$40,00


Se não encontrar em uma livraria próxima de você, acesse o site da editora. Entregamos em todo Brasil, via Correios:  

Sobre o autor:
Geraldo Aymoré Junior é advogado do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Reside em Maricá - RJ.