2 de set de 2014

Obra rara!! -- Diário de bordo de Maarkos Sestios -- ‘Se isso não é verdade, foi bem contado...’.

Sinopse: Ferdinand Lallemand, arqueólogo do Serviço Francês de Pesquisas Submarinas, dirigido pelo Comandante Jacques-Ives Cousteau, conseguiu identificar o armador e proprietário do navio naufragado no séc. II a.C., a dez milhas de Marselha. A partir de restos de ânforas, de marcas de alfândega, de um fragmento de Tito Lívio e inscrições antigas, ele pôde reconstituir neste Diário de Bordo a última viagem daquele grande miriânforas, entre Delos e Marselha, revivendo-nos Maarkos Sestios, poderoso homem de negócios e navegador, que foi um dos artífices da anexação da Grécia por Roma.



Este livro é a tradução, para o português, do original em francês “Journal de bord de Maarkos Sestios”, Editions de Paris, Paris, 1955 (esg.), e que teve edições em inglês, alemão e polonês. O Autor, Ferdinand Lallemand, arqueólogo especializado, integrou a equipe do Serviço Francês de Pesquisas Submarinas – dirigido por Jacques-Yves Cousteau – que, em 1953, localizou e estudou os restos de um naufrágio ocorrido por volta de 230 a.C nas proximidades de Marselha. O resumo dos trabalhos foi estampado em artigo do próprio Cousteau na revista “National Geographic Magazine” de janeiro de 1954. A partir de minuciosa reconstituição arqueológica e histórica empreendida sobre os restos encontrados foi possível estabelecer que se tratava de um navio mercante ( um miriânforas – navio cargueiro com 36 m de comprimento, 12 m de largura e 5 m de pontal, deslocando de 700 a 800 ton.), de propriedade de um armador de origem romana, chamado Maarkos Sestios, nascido e criado em Delos – a menor das ilhas Cíclades, berço de Apolo e Ártemis, segundo a tradição.

Essa nau trazia para Marselha, quando do naufrágio, vinhos e cerâmicas. Ferdinand Lallemand participou ativamente de toda a pesquisa e refez, ele mesmo, o itinerário do navio desde Marselha até Delos. Seguindo os indícios e vestígios da passagem dessa nau, foi capaz de criar o relato do Diário de Bordo. Muito embora o ‘Diário’, enquanto fonte primária, não tenha sido encontrado, ou talvez sequer existido, o Autor produziu um texto extremamente cativante e que ‘se non è vero, é bene trovato...’. O valor desse texto é literário, histórico, arqueológico e náutico e vem apoiado por inúmeras notas de rodapé e ilustrações. Ao longo de suas 176 páginas podemos reviver aqueles dias decisivos, quando Roma se expandia a passos largos, vigorosos, após haver destruído Cartago – como tanto exortara Catão, o Antigo – e se apropriava do solo, das gentes e do legado Grego.

Diário de bordo de Maarkos Sestios
Gênero: Arqueologia Marinha 
Autor: Ferdinand Lallemand 
Tradutor: Gilberto Emílio Chaudon
Editora Muiraquitã - Niterói, 2002. 
176 pág. / Ilustrado pb. / Formato: 16x23cm.

ATENÇÃO!! Obra rara. Poucas unidades no estoque. 

ISBN  85-7543-017-3
Preço de capa: R$50,00 + Frete

Enviamos para todo Brasil.
Descontos especiais para livrarias.
Encomendas: editora.muiraquita@gmail.com