6 de set de 2015

A pianista Licia Lucas em Concerto pela Europa

Os autores do livro A GENEALOGIA DO PIANO Licia Lucas e Marne Serrano, encontram-se em Portugal. 

A pianista Licia Lucas se apresentará nesta terça-feira, 08 de setembro às 18h, no Palácio Foz, em Lisboa.  E na próxima quinta-feira, 10 de Setembro, o concerto será às 18 horas, na Biblioteca Joanina, em Coimbra. Os concertos fazem parte do Projeto Internacional Música no Museu. E a tournée prossegue com uma apresentação em Berlim. 


PROGRAMA


HEITOR VILLA-LOBOS (1887-1959)

DO CICLO BRASILEIRO:
Impressões Seresteiras

CHOROS Nº 5:
Alma Brasileira        
4 CIRANDAS:
Nº 1 – “Terezinha de Jesus”
 15 -  “Que Lindos Olhos” 
Nº 10 – “O pintor de Cannahy”

Nº 4 - “ O cravo brigou com a rosa”
  
FRUCTUOSO VIANNA (1896-1976)
Dança de Negros

MOZART CAMARGO GUARNIERI (1907-1993)
Ponteio Nº24
        Ponteio Nº 30
        Ponteio Nº 49
LOUIS MOREAU GOTTSCHALK (1829-1869)
Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro



Música no Museu volta a Portugal em setembro:

Música no Museu, a maior série de música clássica do Brasil, fará mais uma vez, concertos em Lisboa (Palácio Foz, dia 8 de setembro, às 18hs) e Coimbra (Biblioteca Joanina, dia 10 de setembro, às 18hs) dando continuidade a uma programação entre Brasil e Portugal iniciada há 8 anos. Apresentaremos a pianista Licia Lucas também presidente da Academia Nacional de Música cujo curriculum e programa seguem abaixo. Os concertos são gratuitos; Submetemos,então, a sua apreciação a sugestão de pauta paraMúsica no Museu uma Série que  realiza  concertos gratuitos há mais 17 anos em vários espaços de cidades brasileiras e também no exterior e, em especial, em Portugal.

O projeto teve início em 1997 e tornou-se sucesso de público, pela rigorosa seleção de artistas e programas, pela ampla divulgação na mídia, e, principalmente, pela participação de músicos brasileiros de nível internacional agregado aos novos valores, ganhadores de prêmios em música. Não há um compositor brasileiro de expressão – do passado, mas, sobretudo do presente – que não tenha encontrado e seu lugar na série: Villa-Lobos, claro, mas também: Carlos Gomes, Hekel Tavares, Pe. José Mauricio, Waldemar Henrique, Glauco Velásquez, Lourenço Fernandes, Henrique Oswald, José Vieira Brandão, Edino Krieger, Cláudio Santoro, Guerra-Peixe, Ronaldo Miranda, Radamés Gnatalli, Francisco Mignone, Ricardo Tacuchian, Guilherme Brauer, Ernani Aguiar, Roberto Vitório, David Korenchendler e uma infinidade de outros. É uma belíssima e criativa linha que a Série tem orgulho em conservar.

 A Série é uma versão brasileira do que se vê nos museus de maior expressão do mundo: Metropolitan, MoMa, Guggenhein (Nova Iorque), Louvre (Paris), Gulbenkian (Lisboa) que, a par de suas atividades principais nas artes plásticas, dedicam amplos espaços à música clássica.

Assim a   inspiração veio da Europa e Estados Unidos. Lá é comum a união da música com as Artes Plásticas, é comum a música no museu. Só que lá todos os concertos são pagos e que chegam a custar U$80, como no Metropolitan, em Nova Iorque. Ali já se apresentou até o nosso Nelson Freire entre tantos outros nomes de expressão. Aqui são gratuitos, esta a  diferença básica.  E tudo por conta das Leis de incentivo à cultura.

 A aceitação foi além de qualquer expectativa numa cidade que é a capital do samba e do choro e assim no mesmo ano a periodicidade semanal passou a ser diária e hoje, não só a série acontece em praticamente todos os museus da cidade – às vezes com rodada dupla – além de centros culturais, palácios e até igrejas como em diversos estados e já chegou à fonte inspiradora: Europa e Estados Unidos e se expandiu para todos os continentes sendo que Portugal já é realizada há vários anos em suas várias cidades e sempre com o maior êxito.
                       
Seguem, abaixo, maiores informações e que poderão ser complementadas no nosso site www.musicanomuseu.com.br

 MÚSICA NO MUSEU


Musica no Museu, iniciado em 1997,  tornou-se a maior Serie de musica clássica do Brasil, reconhecido pelo RankBrasil, a versão brasileira do Guinness Book.  Seus números são impressionantes chegando a fazer mais de 500 concertos por ano, de norte a sul do Brasil,  ocupando cerca de 2.500 musicos/ano, além de uma vertente internacional, desde 2006 em cidades de Portugal, Espanha, França,  USA (inclusive no Carnegie Hall em Nova Iorque)Republica Tcheca, Marrocos, India, Áustria, Alemanha,  Argentina, Chile, Vietnam e Australia, levando músicos e a musica brasileira para o exterior. Importante ressaltar, também, que foi o projeto de música escolhido para as comemorações dos 725 anos da Universidade de Coimbra neste ano de 2015.

Nestes 17 anos de atividades já registra um publico de 650.000 pessoas e uma mídia espontânea de milhares de registros em todos os veículos do Brasil, rádios, TVs, jornais, revistas, internet e até do exterior, com destaques para matérias no New York Times, entre outras. Tambem a excelência do projeto, que já recebeu inúmeros prêmios e honrarias nacionais (Ordem do Merito Cultural, Golfinho de Ouro, Embaixador do Rio etc)  e internacionais (Cultura Viva da Unesco)  gerou a monografia de Marie Hoffman, da  Humboldt-Universität zu Berlin Philosophische Fakultät III Institut für Musikwissenschaft und Medienwissenschaft Musik und Medien/Kulturwissenschaft  sob o titulo Die Rolle der „Klassik“ im öffentlichen Leben in Rio de Janeiro und die Konzertreihe „Música no Museu“ (Musik im Museum) The Role of “Classical Music” in the Public Life of Rio de Janeiro and the Series of Concerts “Música no Museu” (Music at the Museum) (a musica clássica na vida publica do Rio de Janeiro e a   Serie de Concertos Musica no Museu).

Paralelamente e no seu âmbito,  realiza um Festival Internacional de Harpas-RioHarpFestival, já na sua 8ª. versão e que colocou o Brasil no circuito mundial da harpa. Tambem  renova  o panorama da musica clássica no Brasil através do Concurso Jovens Musicos-Musica no Museu, já na quinta versão e que recebe a cada ano uma bolsa de U$105 mil  da James Madison University-uma escola Steinway- para o vencedor. Tambem criou  a Orquestra Jovem Musica no Museu e que já começa a ter vida própria.
Musica no Museu no Google tem mais de 6 milhoes de registros e o seu site www.musicanomuseu.com.br, na sua versão nova, em 15 meses já tem  450.000 acessos.

Ao completar 15 anos em 2012, realizou uma programação especial que incluindo os melhores concertos da Série com destaque para a apresentação do pianista Nelson Freire em São João del Rei.
Para 2013, além da Série normal de concertos, estão previstos o lançamento do livro ¨Música no Museu- 15 anos depois¨além da   exposição das pinturas das capas dos seus programas (cada mês feita por um artista plástico brasileiro,
No site, já citado acima, www.musicanomuseu.com.br temos todas as informações sobre o projeto.




LICIA LUCAS

Licia Lucas nasceu no Brasil em Itu, Estado de São Paulo. Diplomou-se na Escola Nacional de Música, especializando-se no Conservatório de Santa Cecilia de Roma com Vincenzo Vitale.  Sua educação musical foi aperfeiçoada com Bruno Seidlhofer Hans Graf da escola vienense.

Conquistou o Primeiro Lugar no Concurso para Solistas da Orquestra Sinfônica Brasileira e na Itália  a Medalha de Ouro no concurso Internacional Viotti de Vercelli, sendo a mais jovem entre todos os concorrentes, concedida pelo presidente do Júri o pianista Arturo Benedetti Michelangeli. Desde então tem já se apresentado com grande sucesso como recitalista e solista de mais de 50 orquestras sinfônicas de Europa, Estados Unidos e América Latina.

Entre suas gravações destacam-se as realizadas na Rússia com a Filarmônica de São Petersburgo,  com a Orquestra  da Sociedade Filarmônica de Moscou; com a Filarmônica de Turim na Itália; nos Estados Unidos com a Arpeggione Kammerorchester da Áustria;  os CDs gravados para o selo L’ART: “Il Barocco” e os “24 Prelúdios de Chopin”; o CD “Licia Lucas in Italy” gravado  na Itália na "Fazioli Concert Hall" e  o CD "Licia Lucas in Russia" gravado recentemente com a Orquestra Sinfônica da Rádio&TV de Moscou com o Concerto Nº2 e a Rapsódia sobre um Tema de Paganini de Rachmaninoff. Em 2014 Licia Lucas foi aclamada na Argentina como docente e recitalista na Sala Rautenstrauch no Encontro de Piano Mercosul em Bariloche e em Buenos Aires no Museu da Arte Hispanoamericana. Em 2015 recebeu a Ordem do Mérito Cultural “Carlos Gomes” e o Grau de Comendadora da Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino. Em Portugal foi aclamada na Sala dos Espelhos do Palácio Foz de Lisboa e na Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra no 725º Aniversário de sua fundação.

No Brasil Licia Lucas  é membro Titular e Presidente da Academia Nacional de Música, membro do “Comité D’Honneur” da Fundação João de Souza Lima e na França  é membro do “Comité d’Honneur” da Fundação Franz Liszt. O livro “A Genealogia do Piano” de autoria de Licia Lucas e Marne Serrano,  tem conquistado a admiração no Brasil e no exterior.

LICIA LUCAS OFFICIAL SITE:  www.licialucas.com    www.pianogenealogy.com


CD’s GRAVADOS

CONCERTOS PARA PIANO E ORQUESTRA

BACH- Concerto em fa menor – Orquestra de Câmara Arpeggione da Áustria – Local de gravação: The Wertheim Performing Arts Center, FIU, Miami, USA.(2007). Regente: Maestro James Brooks Bruzzese.


BEETHOVEN – Concerto Nº 3 em Dó menor, Op. 37 – Orquestra Filarmônica de São Petersburgo – Local de gravação: The Grand Hall of the St. Petersburg Philharmonic, Russia, 2004. Regente: Maestro Gustavo Plis Sterenberg.


CHOPIN – Concerto Nº 2 em Fá menor, Op. 21 – Orquestra Filarmônica de São Petersburgo – Local de gravação: The Grand Hall of the St. Petersburg Philharmonic, Russia, 2004. Regente: Maestro Gustavo Plis Sterenberg.


GRIEG -  Concerto em La menor, Op. 16 – Orquestra Filarmônica de São Petersburgo – Local de Gravação – Sala Glazunov, Conservatório de São Petersburgo, Russia, 2003. Regente: Maestro Alexander Sladkovsky

TCHAIKOVSKY – Concerto Nº 1, Op. 23 – Orquestra Filarmônica de São Petersburgo – Local de Gravação: Sala Glazunov – Conservatório de São Petersburgo, Russia, 2003. Regente: Maestro Alexander Sladkovsky.


RACHMANINOFF – Rapsódia sobre um tema de Paganini – Orquestra da Rádio e TV de Moscou – Local de Gravação: Estudo Central da Rádio e TV de Moscou, Russia, 2011. Regente: Maestro Alexander Soloviev.


RACHMANINOFF – Concerto Nº 2, Op. 18- Orquestra da Rádio e TV de Moscou – Local de gravação: Estudo Central da Rádio e TV de Moscou, Russia, 2011. Regente: Maestro Alexander Soloviev.


DOMENICO VINCENZO MARIA PUCCINI – Concerto em Si bemol Maior- Orquestra Filarmônica de Turim – Local de gravação: Sala Maggiore del Conservatório Giusseppe Verdi, Turim, Itália, 2002. Regente: Maestro Antonmario Semolini.



PIANO SOLO

IL BAROCCO – Selo L’ART – Local de gravação: Rio Digital Arts Studio, Rio de Janeiro, 1996.

CHOPIN -  24 Prelúdios – Selo L’ART – Local de gravação: Rio Digital Arts, Rio de Janeiro, 1998.


LICIA LUCAS IN ITALY- AT THE FAZIOLI CONCERT HALL – Local de gravação: Fazioli Concert Hall, Sacile, Itália, 2008.


Música no Museu apresenta Lícia Lucas.

Sergio da Costa e Silva - Diretor
CARPEX EMPREENDIMENTOS E PROMOÇÕES