9 de set de 2015

A receita do sucesso de Verônica França para a #BienalDoLivro é alegria e otimismo!



O que representou a sua 1ª experiência no cenário da Bienal do Livro?

Representou muito pra mim, e principalmente, bastante visibilidade para a causa da humanização do parto, nascimento, amamentação e reação mãe-bebê-família.


Uma estreia é sempre um momento de descobertas. Qual foi a emoção desse 1º encontro na Bienal do Livro com um público diferente do seu círculo de amigos?

A emoção de poder participar em meio a um público tão amplo, cativo e variado é incomparável. Uma rica experiência, sem sombra de dúvidas. Quanto a lidar com um público fora do meu círculo de amigos, já é lugar comum pra mim. Tenho realizado oficinas de massagem para bebês em diversos locais públicos. Minha intenção é que a técnica da Shantala alcance famílias de todas as classes sociais.


O livro 'Shantala: Massagens Para Bebês' tem uma missão importante na vida dos pais. Você acha que os leitores vão saber aplicar as técnicas que você elaborou para o livro?

Tenho recebido esse feedback dos meus leitores. E preparei um blog de apoio ao livro que esta sendo finalizado, mas já está no ar. Frequentemente recebo e-mails dos leitores querendo formar grupos para as oficinas. Penso que o livro está alcançando seu objetivo. www.massageandoseubebe.blogspot.com

A nossa editora está participando da Bienal Rio como convidada do Projeto Mais Leitura no estande da Imprensa Oficial Como foi a receptividade?

Foi muito boa. Os jovens do staff do estande são muito bem preparados. Eles fotografaram os dois dias em que estive cumprindo a agenda e adaptaram o estande à necessidade do meu cenário. Eu penso que a Imprensa Oficial está cumprindo uma função social para além de suas portas, na medida em que abre seu espaço para incentivar os novos talentos da literatura fluminense.





Considerando a cortina de fumaça com projeção de slides na entrada do espaço reservado para as atividades, alguns autores se mostraram criativos para contornar a questão do acesso do público. Como você conseguiu dar visibilidade a exibição da oficina do seu livro?


No sábado passado, quando visitei o espaço pela primeira vez, conversei com o pessoal do staff a respeito. Acredito que não esperavam uma receptividade tão grande dos visitantes, que fazem longas filas para fotografar sob a cortina de fumaça. Nessa terça-feira procurei me integrar ao espaço com otimismo e alegria por estar participando.   

 Penso que isso contribuíu para perceberem que havia a necessidade de se adaptar uma dinâmica. Então, o pessoal do staff se mostrou disposto a ajudar e suspendeu a cortina de fumaça enquanto realizei a oficina.


A Editora Muiraquitã parabeniza a autora Verônica França por seu brilhante desempenho e agradece por mais essa entrevista, nos contando a sua experiência como autora estreante na Bienal do Livro.

Registramos nossos agradecimentos ao pessoal do 'Projeto Mais Leitura' da Imprensa Oficial-RJ que recepcionaram os autores da Editora Muiraquitã na Bienal do Livro 2015. 
(Labouré Lima, editora-chefe)