8 de set de 2015

Para o jornalista Mário Dias a Bienal do Livro é o clímax de um escritor e a oportunidade da troca de experiências






Em que tempo da vida você descobriu a sua vocação para escrever?
Aos 15 anos a professora Enézia Santos chamou minha atenção para meus textos nas redações.
          
O hábito de ler é a causa da revelação de muitos talentos literários que conhecemos. Para você um livro pode ser lido várias vezes e interpretado de formas diferentes pelo mesmo leitor?
Sim, tendo em vista a diversidade das interpretações.   
                               
 Alguns escritores criam suas histórias a partir de observações ou inspirações. Você poderia nos contar como acontecem suas criações literárias?
Observando a minha vida e no geral, em ocasiões distintas.

Frequentemente ouvimos dizer que um livro pode mudar a vida de uma pessoa. O que você pensa sobre isso?
Acredito que sim. No caso do “CTI-ANTESSALA DA MORTE” até os hábitos de vida.

Em relação ao seu livro o que ele tem de especial para proporcionar aos leitores?
Revelações e reflexões sobre personagens e auto-ajuda
.        
Você está entre os autores participantes da XVII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, o que esse momento significa para você?
O clímax de um escritor e a oportunidade da troca de experiências, inclusive com o público.





Ficha Técnica:  
128 págs.Ilustrado com fotos a cores e em PBFormato: 14cm x 21cmISBN: 
978-85-7543-148-1Preço de capa: R$35,00 + frete postalVendas: editora.muiraquita@gmail.com